Vídeo game – The Movie

“Não sei exatamente quem criou os vídeos games, mas sou grata por tê-los criados.”video_game

Vídeo Game – The Movie é um excelente documentário narrado pelo eterno Sam do Senhor dos Anéis. De cara o documentário já começa tocante. Ao som de uma música épica, uma narração em off e imagens distorcidas de jogos da nossa infância, somos levados aos sentimentos de uma era antiga e emocionante que vivenciamos em nossa juventude. A música troca e temos “Don’t Stop me Now” da banda Inglesa Queen. Música mais do que oportuna para cantarmos para nossa mãe no momento em que lutarmos para passar uma difícil fase.

De início o filme parece uma propaganda apologética sobre o vídeo game. Apesar de muitos fatos, como a superação do lucro frente as indústrias da música e cinema, existe alguns dados que não são exatamente fatos, só pesquisa. Não dá para usar esses números como fato, mas, ainda sim é um bom argumento.

Vários mitos da indústria dão seus depoimentos. É incrível ver Hiroshi Matsumoto, Keiji Inafune,Hideo Kojima, Nolan Bushnellentre outros, compartilhando sua visão sobre o entretenimento digital.videogames

Entrevistas, curiosidades sobre os maiores jogos, história dos consoles e suas revoluções, games indys e muito mais! Tudo isso com uma excelente trilha.

Você se considera um “game maníaco” não pode perde esse documentário.

E você que não é fã ou não gosta de games, lembre-se: “Vídeo game é a junção de todas as formas de arte e expressão que a humanidade já teve é isso que faz um jogo.” Phil Fisher

Leonardo Agrelos
Se acha um host, mas não sabe houstear. Se acha um podcaster, mas tem a linguá presa. Se acha um nerd, mas nunca terminou de ler O Senhor dos Anéis. Se acha um escritor, mas sempre procura no Google como se escreve impeachment. Entre tantos achismos uma certeza, a de que tem que melhorar como pessoa para parecer menos com um babaca.
http://www.pupilasembrasas.com.br
  • Adriano Toledo

    Vergonha minha admitir que ainda não assisti a essa pérola… Mas vou! Vídeo game é uma mídia subestimada, taxada ou de coisa de criança ou de diversão burra, decerebrada e violenta… Não é bem assim! Bem consumida é talvez a melhor mídia que existe!

Top