Pupilas em Brasas #108 – Rogue One: Pra Cima Deles!

Todo ano a Disney no final do ano, assumindo o manto do bom velhinho, nos presentei com mais um filme de Star Wars. Seja com a saga Skywalker, seja com uma nova história do universo SW.

No ano de 2017 veremos mais um episódio da família Skywalker e para aquecer ainda mais a expectativa o Pupilas em Brasas trás nesse podcast Léo Agrelos, Fillipe Rocha, Igor Reis e Adriano Toledo, para juntos lembrarem que Star Wars é muito mais do que suas cifras sugerem.

Existe um levante, um inconformismo com a nossa atual situação e isso é sugerido no filme. Descubra também isso e muito mais, apertando logo o player.

 

Nossas redes: FacebookInstagramTwitter

Leonardo Agrelos
Se acha um host, mas não sabe houstear. Se acha um podcaster, mas tem a linguá presa. Se acha um nerd, mas nunca terminou de ler O Senhor dos Anéis. Se acha um escritor, mas sempre procura no Google como se escreve impeachment. Entre tantos achismos uma certeza, a de que tem que melhorar como pessoa para parecer menos com um babaca.
http://www.pupilasembrasas.com.br
  • Silvana Oliveira E Silva

    Pessoal, vocês passaram um tempo discutindo qual o estilo de Rogue One…. a crítica especializada o classificou como um filme de assalto. Acho que cabe bem e resolve a questão.

    Gostei da discussão de vocês. E a cena da praia foi ótima. Muitos reclamaram o segundo ato, também da morte do Sr. Erso lá. Mas o filme é bem fechadinho. Pena que morre todo mundo e a gente é obrigado agente dizer adeus :_(

    Abraços agente todos!

    Silvana Silva (Lado a Lado)

  • Droga, agora preciso reassistir o Rogue One urgente!

  • Acho incrível como eles conseguiram pegar um pequeno período de tempo e criaram um ótimo filme em que nos fizeram se identificar com os personagens, gostar deles e sentir falta dos mesmo. Fora os detalhes em que explicam o motivo dos Stormtroppers nunca acertarem os Jedi e como a Estrela da Morte tinha uma falha tão estúpida.
    A propósito, a cena do Darth Vader do “início do Episódio IV”, no fim de Rogue One, é sensacional.

    Me lembrei agora de Estevão. Estevão seria do “esquadrão suicida”, visto que manteve-se fiel até o último momento, não se calando, mas clamando a verdade que ninguém queria ouvir, mesmo que isso lhe custasse a vida.

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)

Top