Querida, Encolhi as crianças!

download Eu não vou reassistir ao filme, nem vou ver trechos nem nada, vou escrever esse texto de memória, ok?! COMO EU GOSTAVA DESSE FILME! Não sei explicar porque. Era claustrofóbico e hilário ao mesmo tempo. Deve ser dessa época que eu tenho raiva de alguns tipos esteriotipados americanos, como: a patricinha fútil pendurada ao telefone, o conceito de “perdedor” que aplicaram ao pai, os vizinhos “rednecks” (Caipiras), o jogador de futebol americano… Ahg! Como me irritam. Mas… era os anos 90 e você tinha que aceitar o que estivesse na TV.   O pai da família, interpretado por Rick Moranis, é cientista inventor e quer fazer uma máquina que miniaturiza objetos, reduzindo sua massa corpórea (gente!!! Ia fazer o maior sucesso em clínicas de estética), e os filhos, num momento de confusão, acabam sendo miniaturizados (agora, tudo isso é um borrão na memória, estou escrevendo na cara e na coragem!). download (1) Daí começa a aventura para falarem que estão pequenos, sem morrerem ou serem esmagados pelo caminho… O que antes era um simples gramado, uma chuva, um passeio pelo quintal, passa a ser uma luta hostil pela sobrevivência. E claro, acaba do jeito que todos amamos: a família unida, abraçada, valorizando uns aos outros porque se amam.   Marque uma sessão da tarde com seus filhos e sobrinhos para reverem juntos essa pérola! Quem sabe nossas famílias não precisam se lembrar de quão importantes são uns pros outros! Querida-Encolhi-as-Crianças PS.: Reza a lenda de que Rick Moranis abandonou o cinema para cuidar de seus filhos em 1991 quando sua esposa morreu de câncer. Paizão né?!

Aline Toledo
Comentei no site até não me aguentarem mais e me chamarem pra gravar. Escrivinho pautas e textos por aqui. Administradora frustrada, sou fotógrafa nas horas úteis, Bozolina nas horas vagas. Gosto de ajudar, de ser querida, de falar, de rir esquisito, de comer a vontade (pedindo a Deus para não engordar) e me apego fácil. Choro como a Chiquinha, rio como uma hiena. Amo esse projeto e sou grata a Deus por vocês, ouvintes e leitores.
Top