Entre o certo e o errado há cinquenta tons de cinza – parte 5

Sexismo… Esta m&#d@!


O primeiro texto dessa série eu escrevi em fevereiro desse ano. Parece que foi em outra vida! Desculpa a demora, galera! Sou dessas que só escreve mediante inspiração (uma coisa que não sou: obrigada)… E passei por um momento de lapso criativo.

Vivi umas coisas recentemente, vi outras e assisti algumas… Daí veio a inspiração.

Quero encerrar a série aqui. Prometi analisar alguns filmes mais profundamente mas acho que não valerá a pena devido recentes acontecimentos na cristandade (leia-se: tem muito crente babaca e não quero ser mal interpretada e me passar por uma).

Vocês já estão acostumados com minhas longas introduções, por isso quero que este texto seja construído baseado no que me levou a escrevê – lo:

1)a leitora Thais comentou no meu texto dessa série (parte 2) “meu favorito” como ela quase deixou de ler o texto com o subtítulo – machismo X feminismo = ready, GO, fight! – porque machismo e feminismo não são antagonistas, mas sim completamente diferentes.

Eu não fiz a comparação por ignorância, mas para trazer os assuntos a tona mesmo, por isso quero aqui tratar de Sexisismo… Um assunto diverso.

2)tive contato com algumas pessoas recentemente que, sinceramente…

Ditos ateus, mas no fundo no fundo, o problema é com o Deus judaico/cristão ser representado na forma masculina.

Se fosse mulher estava tudo bem (existe a mesma galera do ateu/ufologista, mas essa é outra conversa).


3)Vi Mad Max (estrada DA FURIOSA #CHORAINIMIGAS, SIM), vi Selma (deveria ser currículo escolar no Brasil), estou me acabando em Call the midwife (sou das malucas do parto normal com orgulho, convicção e evidência científica), sou louca e doente pela Lagherta (Vickings), Arya, Brienne e Sansa 2.0 (Game of Thrones) e essas são mulheres só dá ficção – mas que inspiram, inspiram!

4)Já comentei sobre a relação de homens e mulheres e me mantenho firme: não deveria ser uma guerra, mas uma escola de conscientização e aceitação!

Tem gente que não entendeu mesmo que o feminismo tem nada a ver com a linha do machismo!

Não é pregar a supremacia feminina (famosas “feminazis”), não é colocar os homens sob o nosso comando, chicote ou sair estuprando-os pelas ruas (afinal, eles o faziam conosco), não é lutar por vagão feminino nos trens…

 

Todo mundo junto, sendo todos diferentes, fica bem mais bonito, né?

É garantir educação pra meninos e meninas de que homem chora, lava louça e troca fralda; que menina pode trocar pneu, ser solteira se quiser e deveria poder fazer mochilão pelo mundo com segurança, respeito e dignidade.

É correr atrás do direito do fragilizado, abusado, ignorante {quem vive uma vida de abuso de sente culpado, e não sabe que tem o direito a respeito}, lutar por educação, conscientização; é se doar e doar o que tem…

Mas essa sou eu maluca, militante, em prantos e rouca pelos meninos abusados por pedófilos nos clubes de futebol brasileiros (não sabia que tinha isso, né?), pelas meninas que ainda sofrem mutilação vaginal na África, pelas pessoas de todas as idades que estão sendo atacadas com ácido na Índia, pelos adolescentes de esfregando cada vez mais cedo nos bailes funk das nossas periferias…

O problema não é o comercial da loja de perfumes, o filme polêmico da estação com seus virais ~satânicos ~

O meu terror está no nosso silêncio, apatia, segregação religiosa e social, preconceito e intolerância.

Mateus: 5. 13. Vós sois o sal da terra; mas se o sal se tornar insípido, com que se há de restaurar-lhe o sabor? para nada mais presta, senão para ser lançado fora, e ser pisado pelos homens. 14. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte; 15. nem os que acendem uma candeia a colocam debaixo do alqueire, mas no velador, e assim ilumina a todos que estão na casa. 16. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. – Bíblia JFA Offline

Aline Toledo
Comentei no site até não me aguentarem mais e me chamarem pra gravar. Escrivinho pautas e textos por aqui. Administradora frustrada, sou fotógrafa nas horas úteis, Bozolina nas horas vagas. Gosto de ajudar, de ser querida, de falar, de rir esquisito, de comer a vontade (pedindo a Deus para não engordar) e me apego fácil. Choro como a Chiquinha, rio como uma hiena. Amo esse projeto e sou grata a Deus por vocês, ouvintes e leitores.
Top